quinta-feira, 15 de outubro de 2009

O Tempo Corre Vagarosamente

Estamos em Portugal, um país à beira-mar plantado, onde habitam pessoas maravilhosas e o sol brilha durante a maior parte do tempo.
Possuí um território temperado, isto devido ao clima que se faz sentir ser um clima ameno, nem é muito frio no inverno, nem muito quente no verão.
Tem praias maravilhosas, devido à extensa costa que possuí e é rico em recursos marinhos, que se encontram por explorar, porque adquiriu o direito de propriedade sobre uma larga extensão dos mares que rodeiam o seu território.
Existem ainda paisagens de uma beleza singular e esplendorosa.
Tem uma longa história, feita de sucessos e fracassos, mas que marca de forma vincada a maneira de estar no mundo dos portugueses. É a alma Lusitana.
Mas o que eu sinto que é diferente de muitos outros povos, povos que são nossos aliados e comungam da mesma matriz cultural que nós, é a forma como nós resolvemos os nossos problemas e encontramos soluções para eles e o tempo que demoramos a agir, isto é, a passar da teoria à acção. É uma eternidade.
Vejamos; já passaram vinte dias desde que se realizaram as eleições legislativas, ainda só agora se está a constituir o novo governo. Não sabemos quando irá ser apresentado. Até tomar posse é um mês, ora o governo em exercício é um governo de gestão, apesar de pertencer à mesma força politica do que vai ser formada, não pode tomar certas medias. Foi um mês que se perdeu.
Deviam ser encontradas formas mais eficazes e rápidas de tomar decisões e praticar as medidas necessárias ao desenvolvimento sociedade, para que o futuro seja possível e mais risonho.

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

À Manhã É Sábado

Creio que todos sabem que amanhã é sábado, mas se houver alguém que não o saiba eu coloco aqui este lembrete e creio que pratico deste modo uma boa acção. Um acto que poderá vir a ter interesse público num futuro próximo ou longínquo; um acto Universal e um acto que transformará os Humanos em melhores Humanos.
Quero que fique claro que hoje é sexta-feira, é por isso que amanhã é sábado.
Entendo que este acto, que eu estou a praticar, é da maior importância para o desenvolvimento e progresso da Humanidade. Isto hoje é nada e pode nunca vir a ser algo, mas confere-me o direito ao sonho e ao poder sonhar, o meu sonho é ilimitado, por isso posso sonhar vir a ser surpreendido com a atribuição dum Prémio Nobel. ( Não o creio, mas...).
Muito sinceramente, parabéns para o Senhor Presidente Obama e que continue na senda das reformas nos Estados Unidos da América.

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Futebol!

O futebol é um jogo!
são onze contra onze, tudo pode acontecer! Tudo o que o que integra um jogo desta natureza!

terça-feira, 6 de outubro de 2009

A Escuridão

Porque falei da noite e a noite é escuridão; quero lembrar que podemos viver na escuridão em pleno dia.
Foi o que aconteceu a Portugal, durante largos anos, no século passado. A sociedade portuguesa viu-se obrigada a viver na penumbra e até na escuridão total, por um regime horrível, opressor e violentador dos mais elementares direitos das pessoas.
É só para lembrar que nas últimas eleições legislativas a esquerda, se o Partido Socialista se pode ainda considerar um partido de esquerda, ganhou as eleições, mas parece que quem vai logrou fazer passar a sua mensagem é a direita e parece que, contra a vontade da maioria dos portugueses, vão ser eles a ter poder para decidir as políticas neste país, isto porque o Partido Socialista prefere aliar-se à direita radical.

O Som da Noite

Passa da meia noite, vinte minutos!
Estou no meu quarto. No meu quarto tenho uma secretária e muitos livros.
O meu quarto tem uma janela que está aberta, aberta para a noite. Há minha frente é o império da escuridão e do mistério. A noite é, por definição, misteriosa, mas já não me assusta.
De tempos a tempos ouvem-se alguns ruídos dos carros que passam na rua, mas também dos misteriosos habitantes da noite.
(Moro perto de um cemitério)! Não! não estou a pensar nisso, os mortos nada fazem.
Concluindo: o que oiço mais na noite é a voz do silêncio suave e refrescante. Oiço-o com sofreguidão e vontade de me embriagar da sua beleza e mistério.
Não estou com instintos suicidas, não me aflora ao pensamento tal ideia, quero viver, viver cada ideia com muita intensidade.
daqui a pouco é um novo dia e vou estar pronto para o enfrentar com todas as forças que sentir ter.

segunda-feira, 5 de outubro de 2009


Vista panorâmica da Serra de Sintra,descendo para o mar, junto ao Guincho.

Ao fundo, na linha do horizonte está a Serra de Sintra. Eu estava junto ao Cascaishoping.

Ícone de Alcabideche.

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

O Dia A Seguir

passaram quase oito dias desde aquele dia histórico em que se escreveu mais uma página na história de Portugal.
Estou a falar do dia 27 de Setembro, dia em que se realizaram as eleições legislativas. Nós, portugueses, elegemos os deputados que nos vão representar, enquanto durar a próxima legislatura, na Assembleia da Republica. Desculpem-me por insistir neste ponto, mas foi a única eleição que se realizou, porque o cargo de Primeiro-Ministro ainda não resulta da realização de qualquer sufrágio. Um dia até poderá vir acontecer que o Primeiro-Ministro venha a ser escolhido em eleição directa, mas actualmente não é isso que acontece e não é porque eu o digo, é porque está escrito na Constituição da Republica Portuguesa, que é a lei fundamental do Estado. Isso de andarem para aí a dizer que são candidatos a Primeiro-Ministro e que ganharam a eleição para esse órgão só serve interesses particulares e não os interesses públicos do estado, serve para fugirem ao esclarecimento devido aos portugueses, serve para enganar as pessoas, que na maioria dos casos não são pessoas muito esclarecidas, em relação à politica, mas é este o nosso país e são assim os nossos políticos.
Depois deste comentário resta-me dar os parabéns ao Partido Socialista, que ganhou as eleições.
Espero que consiga governar com alguma estabilidade e que cumpra, agora, algumas das promessas que ficaram por cumprir na última legislatura e não foram poucas, como se devem lembrar, porque eu não vou aqui enumera-las. Mas devo dizer que me chocou um pouco, eu que há quatro anos votei no Partido Socialista, porque sempre tinha votado assim desde que adquiri o direito de fazê-lo e também pelas promessas que foram feitas, fiquei chocado, agora, por ver que se proponham fazer coisas que já tinham prometido fazer e não fizeram e apresentavam essas propostas como se fossem novidade, o que é pouco correcto, para não dizer outra coisa.
Há quatro anos, nunca pensei em votar de outra forma que não fosse no Partido Socialista, -lo por convicção e porque me deixei seduzir pelas propostas apresentadas, porque eu nessa altura já pensava que a crise era uma questão de tempo e não me enganei. Fiquei entristecido com as soluções apresentadas, nessa legislatura e desta vez pensei um pouco, embora não querendo que outros tomassem o poder, pensei que seria melhor coloca-lhe um freio, para evitar a arrogância e obrigar a tomar medidas mais justas e apropriadas. Por isso devo dizer que tive uma dupla satisfação, fiquei contente pela vitória socialista e por essa vitória não representar um maioria absoluta.
Algumas pessoas, em Portugal, quando adquirem a confiança dos outros acham-se os maiores e julgam que podem fazer tudo o que querem ou quase tudo, mas isso tem que acabar.
Bom já disse mais do que aquilo que me tinha proposto, mas está dito.